• A RELAÇÃO ENTRE DESATENÇÃO E OS TRANSTORNOS DO HUMOR. 

14581494_1796626273940616_6644913435406331780_n1

 

A atenção é a capacidade do cérebro de perceber estímulos do meio e neles se prender. Dois tipos básicos de atenção garantem que prestemos a atenção naquilo que está ao nosso redor sem deixar que nada passe despercebido! Uma delas é a atenção voluntária, que é a atenção que o indivíduo busca voluntariamente observar as coisas que estão no ambiente. Ela estará em atividade quando por exemplo quando uma pessoa se esforça para tentar ler um livro e consegue prestar a atenção corretamente naquilo a que se propõe sem perder o fio da meada. Outra modalidade da atenção é a atenção espontânea, que é quando o indivíduo volta a sua atenção para coisas que estão no ambiente que chamaram sua atenção, isto é, ele estava prestando a atenção em algo e um estímulo do meio mais potente fez sua atenção ser desviada para ele. Nos transtornos de humor a modalidade atenção que está marcadamente alterada é a mobilidade atencional, ou seja, alteração da atenção espontânea. No deprimido clássico (lentificado), ela está reduzida, isto é, mesmo coisas que ocorrem perto da pessoa não fazem com que ela perceba tais estímulos, muito por conta de estar tão lentificada que não percebe as coisas a sua volta. No indivíduo bipolar em estado de agitação (quer seja uma depressão agitada ou uma euforia) a atenção espontânea está reduzida, ou seja, a pessoa está com intensa distraibilidade, isto é, pequenas coisas no meio são capazes de chamar a sua atenção e muitas vezes a pessoa neste estado não consegue prestar a atenção nem no que estava pensando que vem um outro pensamento atrapalhando seu raciocínio. Portanto, se uma pessoa encontra-se deprimida ou agitada, é esperado que sua atenção também esteja alterada, visto que os transtornos do humor também compreendem alterações de outras funções cerebrais paralelas!

 

  • ALTERAÇÃO DA SENSOPERCEPÇÃO NO ESTADO DE HUMOR EUFÓRICO. 

14590479_1781170205486223_11363572677169567_n

Os transtornos bipolares cursam com alterações no humor como sintoma cardinal mas não é infrequente uma pessoa eufórica apresentar alterações em sensopercepção. Ao sensopercepção é a uma função do cérebro em identificar estímulos sensoriais no ambiente (cores, sons, estímulos táteis, etc). Uma pessoa em estado eufórico de humor, quer seja por uma doença cerebral psiquiátrica como o transtorno bipolar quer seja induzido por algumas drogas estimulantes, vai identificar o que está a sua volta de maneira distorcida e bem diferente daqueles que não estão sob efeito de drogas ou que não estejam em estado de euforia. Chamamos de hiperestesia quando a pessoa eufórica percebe estímulos sensoriais do meio de maneira muito mais intensa que os demais indivíduos, por exemplo, a comida pode ganhar um sabor mais intenso, as cores ficam mais brilhantes e os sons mais intensos e vibrantes. Assim como o deprimido pode deformar estímulos do meio, a pessoa eufórica também, sons banais podem ganhar a intensidade de musicas para o maníaco ou mesmo de rimas que ninguém percebeu e a isso chamamos de ilusões catatímicas. Em casos graves de euforia podem ocorrer alucinações visuais ou auditivas geralmente congruentes com o humor, por exemplo vozes dentro da cabeça com conteúdo grandioso e megalomaníaco ou elogios constantes a pessoa que está em estado cerbral de agitação eufórica.

 

  • HUMOR DISFÓRICO (AGRESSIVO).

14595678_1781180762151834_7665623077154847505_n

Assim como nem todas as depressões são puras , isto é, com redução de todas as funções cerebrais (humor, energia, velocidade de pensamentos e impulsos para baixo) e muitas são depressões mistas (misturas de sintomas de depressão e de agitação cerebral), nem todas as alterações do humor do campo da aceleração mental também serão puras (euforia, aumento de energia e de impulsos e aceleração de pensamentos). Quando indivíduos tem algum grau de bipolaridade é possível também apresentarem agitações mistas do humor (isto é, as pessoas ficarem aceleradas mas com sintomas que são de depressão como por exemplo o humor irritado) e a estes casos chamamos de “manias mistas”. Um exemplo de mania mista é a mania disfórica que é quando a pessoa apresenta aumento de energia, pensamento em grande quantidade e acelerado, corpo agitado (não consegue parar quieta), aumento de impulsividade (abuso de álcool, fumando muito, etc) mas o humor não é positivo (euforia) mas sim do outro polo, isto é, do campo da depressão (irritável e agressivo). O resultado disso é uma pessoa negativamente energizada, isto é, impaciente, pavio-curto, que dá respostas mais agressivas, que procura mais briga e que dependendo da #gravidade pode ficar até violenta ou hostil com os outros. Diante de qualquer suspeita de um quadro de aceleração mista do humor, isto é, períodos de dias em que a pessoa muda o humor e fica agressiva a maior parte do tempo, é preciso levantar a hipótese de algum grau de bipolaridade e iniciar um tratamento para tal. Mesmo o humor estando negativo (irritável), antidepressivos podem piorar este quadro!

 

  • DEPRESSÕES AGITADAS.

14495491_1781173252152585_7549511431162760818_n

Embora a depressão seja conhecida como um transtorno do humor, na verdade trata-se de um transtorno afetivo-volitivo-psicomotor, isto é, não é uma alteração apenas nas áreas cerebrais responsáveis pelo humor mas também em áreas associadas ao controle dos impulsos/vontade/ iniciativa (volição) e psicomotricidade (velocidade do pensamento e velocidade dos movimentos corporais). Quando um indivíduo apresenta uma “depressão pura” significa que todas estas funções #cerebrais estão reduzidas, isto é, além de humor para baixo, baixa energia (cansaço e fadiga incoerentes ao desgaste físico real), falta de impulsos e vontade (indecisão, procrastinação de compromissos), perda da capacidade de sentir prazer, lentificação dos pensamentos (pensa com mais dificuldade e se sente mais devagar) e lentificação motora (lentidão para se movimentar). Quando existe no cérebro algum grau de bipolaridade, as alterações do humor podem ser variadas e combinar componentes dos dois polos (lentificado e acelerado). Denominamos de “depressões mistas” as depressões com alguns sintomas que são de aceleração e que podem ser chamadas também de depressões agitadas. Um exemplo de “depressão mista” é quando a pessoa apresenta humor deprimido, falta de energia e falta de prazer mas o pensamento é em grande quantidade e acelerado, o corpo fica agitado e a pessoa não consegue parar quieta e concomitantemente há aumento de impulsividade mesmo a pessoa estando em depressão (abusa de álcool para desacelerar o pensamento e aliviar a agitação, fuma muito e abusa medicamentos calmantes). Diante de um quadro misto é preciso rever o diagnóstico e o tratamento inicialmente programado pois além do antidepressivo pode ser necessário a associação de um estabilizador do humor que é um medicamento que visa controlar a parte agitada da depressão!

 

  • IMPULSIVIDADE.

14568222_1781159652153945_7330018348272478037_n

A impulsividade é o fenômeno que observamos quando uma ação empreendida no meio ambiente ocorre sem o devido processamento mental e a realização do adequado julgamento, que passa pelo pensamento. Observamos alterações de impulsividade em vários comportamentos emitidos, por exemplo: verbal (quando a pessoa fala o que pensa dos outros sem avaliar o bom senso de tais comentários), sexual (quando a pessoa empreende atitudes sexualizadas por aumento de apetite sexual, sem o devido julgamento dos riscos aos quais está se expondo), gastos (compras e aquisição de objetos sem a devida avaliação do perigo de endividamento ou das reservas disponíveis), uso de drogas (abuso de substâncias químicas como bebidas, cigarro e outras drogas simplesmente seguindo o desejo do uso, sem a correta avaliação dos riscos e prejuízos de tal atitude), jogos (abuso e gastos em jogos de azar levando a prejuízos financeiros), entre outros. Alterações de impulsividade são muito frequentes em transtornos do humor e o que observamos como regra é que em indivíduos com depressão clássica (lentificada) geralmente ocorre redução da impulsividade e em indivíduos com transtorno bipolar (depressão agitada ou com euforia) geralmente a impulsividade está aumentada e comportamentos como os descritos podem ocorrer em maior frequência. Sempre que um indivíduo estiver deprimido e apresentar algum comportamento de maior impulsividade concomitante, é imprescindível uma avaliação quanto ao subtipo de depressão, pois a chance de pertencer a uma depressão com alguma grau de bipolaridade é elevada!